Os melhores filmes para assistir no Telecine

O melhor do cinema em sua casa

Os melhores filmes para assistir no Telecine - SKY TV

Uma das maiores plataformas a serviço de cinéfilos em geral e fanáticos por filmes de todos os gêneros, o Telecine é uma referência nacional. A curadoria, que envolve os canais pagos e o serviço de streaming, contempla todos os gêneros e nacionalidades possíveis, fazendo a alegria dos usuários.

Os melhores filmes para assistir no Telecine

SKY - A GENTE SE DIVERTE JUNTOS

27 grandes filmes para você assistir no Telecine

Confira abaixo nossa lista, com as mais variadas produções. Selecionamos grandes obras entre o cinema mais comercial, filmes famosos que estão no catálogo, pérolas cult e até alguns pouco conhecidos que vale a pena conhecer. Confira!

1 – Druk – Mais Uma Rodada

Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Druk é dirigido pelo grande Thomas Vinterberg. Conta a história de quatro professores que resolvem testar uma teoria sobre uma quantidade constante de álcool no sangue, para efeitos de desinibição. Nada de moralismo neste ótimo roteiro, contando com belas atuações.

2 – Na Natureza Selvagem

Dirigido por Sean Penn e adaptado a partir do livro de não ficção de Jon Krakauer, Na Natureza Selvagem acompanha um jovem que vira as costas para a monótona vida adulta que o espera. Em uma viagem de auto descoberta, ele tenta se encontrar em um ambiente fora dos padrões, até um final emocionante e ambíguo.

3 – Magnatas do Crime

Guy Ritchie retornando ao seu ambiente natural no submundo de Londres. Magnatas do Crime tem um elenco estelar em uma trama que envolve um grande traficante de maconha norte-americano, no momento em que ele decide se aposentar e vender seu negócio. Narrado de forma não linear, traz todos os maneirismos que agradam os fãs do diretor.

4 – O Farol

Robert Eggers, de A Bruxa, criou essa excelente narrativa de terror psicológico, com apenas dois personagens confinados em um farol, isolados do mundo até a chegada do próximo navio. Paranoia e loucura crescentes, com uma belíssima fotografia em preto e branco e grandes atuações.

5 – O Homem Invisível

Releitura de um dos monstros clássicos da Universal, em uma história que envolve um relacionamento abusivo. Elizabeth Moss foge de seu perturbado ex, cujas experiências no campo ótico a fazem crer que ele descobriu uma forma de se tornar invisível. Grande suspense que não perde o ritmo.

6 – Logan

Hugh Jackman faz o ato final de Wolverine no cinema, em um filme de super-heróis bastante fora do padrão. Ambientado em um futuro melancólico para o protagonista, ele precisa lidar com sua doença, enquanto cuida do idoso Professor Xavier, além do aparecimento de uma criança misteriosa em suas vidas.

7 – Metropolis

Um dos maiores clássicos da ficção científica de todos os tempos, Metropolis foi feito em 1927, mas se mantém atemporal. Representando a divisão e a luta de classes em uma cidade que exibe sua prosperidade apenas nas camadas mais altas, o conflito desta trama se dá no envolvimento do filho de uma figura importante da sociedade com uma operária.

8 – Psicose

O filme mais famoso de Alfred Hitchcock inovou em várias frentes. Quebrou a expectativa do público de inúmeras formas, como também teve peças de divulgação diferenciadas para promovê-lo. A história do louco Norman Bates, assim como a reviravolta no final do filme, é uma das mais conhecidas entre o público em geral.

9 – Robocop (1987)

Fique com o original. O primeiro Robocop, de Paul Verhoeven, teve duas continuações ruins e um remake sem inspiração, fazendo do original o único que vale a pena ver e rever. O policial morto que acaba reciclado para se tornar uma máquina de pacificação urbana serve para inúmeras discussões, além de ser uma releitura interessantíssima de Frankenstein.

10 – Os Incompreendidos

Para os que nunca viram um exemplar da nouvelle vague, Os Incompreendidos é uma ótima porta de entrada. François Truffaut contou a comovente história do menino Antoine Doinel, que sem receber a atenção que precisa, passa seus dias entre delitos de pouca importância. Uma premissa simples, mas que captura pela simplicidade e narrativa bem estruturada.

11- Whiplash: Em Busca da Perfeição

Damien Chazelle chamou atenção do mundo quando transformou seu curta em longa metragem. Whiplash mostra a obsessão de um adolescente em tornar-se um prodígio do jazz como baterista, em uma conceituada escola. Na classe de um professor de métodos agressivos, ele é testado até seus limites até um final nada menos que épico.

12 – Lixo Extraordinário

Neste documentário, os realizadores seguem pessoas reais que separam lixo no maior aterro sanitário do mundo, no Rio de Janeiro. É neste cenário que o fotógrafo Vik Muniz capta imagens dos trabalhadores locais, revelando mais sobre esses indivíduos em uma dura realidade.

13 – Sem Destino

Obra seminal de Dennis Hopper, do período conhecido como Nova Hollywood, Sem Destino é um road movie onde dois motoqueiros viajam pelos Estados Unidos depois de uma venda de drogas. As entranhas do país, com seus preconceitos e violência, são expostas em uma trajetória que marcou o cinema para sempre.

14 – Quando Duas Mulheres Pecam

Ingmar Bergman tem aqui sua obra mais influente, referenciada várias vezes ao longo das décadas. O relacionamento entre uma atriz, que deixou de falar subitamente, e sua enfermeira em uma casa de veraneio traz à tona inúmeros conteúdos psicológicos para o público refletir.

15 – Tudo Sobre Minha Mãe

Pedro Almodóvar faz sua homenagem sincera à maternidade, contando a história de uma mãe solteira, cujo filho deseja saber a identidade do pai. Lidando com uma tragédia, a trajetória desta personagem é marcada por várias facetas do exercício de ser mãe, criando um filme dos mais pessoais.

16 – Crepúsculo dos Deuses

Uma discussão atemporal sobre a cultura das celebridades e a indústria do cinema. Na década de 1950, um roteirista sem muita perspectiva se envolve com uma esquecida atriz da era muda, em uma relação que desnuda uma mente fragmentada e se distanciando cada vez mais da realidade. Assinado por um dos grandes diretores da Era de Ouro, Billy Wilder.

17 – Thelma e Louise

Duas mulheres planejam uma viagem de fim de semana, longe das pressões do dia a dia. Uma reviravolta durante esse trajeto as torna procuradas pela polícia, afundando-se cada vez mais no problema. Curiosamente, um homem, Ridley Scott, dirigiu este filme, que trata com delicadeza a questão de ser mulher em um ambiente machista.

18 – Relatos Selvagens

A Argentina mostrou mais uma vez a força do seu cinema com Relatos Selvagens. Seis histórias independentes escritas e dirigidas por Damián Szifron, unidas pela temáticas de pessoas desesperadas que tomam atitudes extremas. Tudo com um toque de ironia que favorece muito o clima do longa e nos deixa mais interessados na história a seguir.

19 – O Grande Ditador

Charles Chaplin aproveitou a semelhança acidental de seu personagem mais famoso com um certo ditador na Alemanha. A ironia da vida real foi utilizada no roteiro, onde um barbeiro judeu é confundido com o autoritário e antissemita regente de um país chamado Tomânia. Satírico, cômico e dramático na medida certa, O Grande Ditador deixou algumas das imagens mais lembradas da História do Cinema, além de seu comovente discurso final.

20 – 12 Homens e Uma Sentença

Ambientado em um único cenário, onde jurados precisam deliberar sobre a culpa de um jovem réu, acusado de matar seu próprio pai, a corte precisa de votação unânime para a sentença de morte. Quando surge um voto que questiona a certeza da culpa, começa um jogo de argumentação que mostra como as coisas não são tão fáceis quanto algumas pessoas gostariam que fossem. Um filme que faz o público pensar sobre a vida real.

21- Central do Brasil

Um dos exemplares nacionais mais lembrados após a retomada de poucos anos antes, Central do Brasil conta com a grande Fernanda Montenegro. Interpretando uma ex-professora que escreve cartas para pessoas analfabetas na famosa estação de trem, ela tem sua virada quando resolve levar uma criança, cuja mãe acabou de morrer, em uma viagem até o pai desconhecido.

22 – Kagemusha: A Sombra de um Samurai

Akira Kurosawa abrilhanta esta lista com Kagemusha, que mostra um ladrão ordinário recrutado para tomar o lugar de um senhor feudal beligerante que morreu, graças a uma semelhança ocasional. Belamente fotografado, com um trabalho de cores notável, o filme vai muito além do visual, focando nas dificuldades do protagonista ao tentar encarnar o papel que foi imposto a ele.

23 – Conan, O Bárbaro

Primeiro grande papel de Arnold Schwarzenegger, aproveitando o enorme sucesso de Conan nos quadrinhos da Marvel. O filme de 1982 é uma aventura violenta de vingança, como cabe ao universo do personagem, embora ele se distancie aqui de suas fontes literárias. Empolgante na medida certa, ajudado pela trilha sonora, tinha tudo para ser mais uma produção B de fantasia, mas entregou bem mais ao público.

24 – Cidade de Deus

O começo do século XXI foi promissor para a produção local, graças a Fernando Meirelles e sua adaptação do livro Cidade de Deus. Trazendo uma linguagem dinâmica, o longa conta a violenta história do bairro carioca, através do desenvolvimento de vários personagens. A opção de utilizar amadores da região no elenco principal faz a diferença, criando um conjunto coeso e muito verossímil.

25 – Akira

Embaixador da animação japonesa nos EUA, Akira é a adaptação do mangá homônimo, com roteiro e direção de seu próprio criador. Em uma Tóquio futurista pós desastre nuclear, um jovem de uma gangue acaba raptado pelo exército e desenvolve poderes telecinéticos, enquanto a figura de Akira é mantida oculta até o clímax da narrativa. Para ver e rever.

26 – Irreversível

Gaspar Noé foi muito criticado pelo perturbador Irreversível, violentíssimo e com uma cena de estupro que fez pessoas saírem do cinema no meio do filme. A narrativa acompanha a busca pelo responsável pela atrocidade, mas sua montagem é feita de trás para frente, mostrando primeiro as consequências do caso, o que faz sentido conceitualmente. Essa é uma obra que não poupa seu público e é impossível terminar incólume.

27 – Era Uma Vez na América

Último filme de Sergio Leone e uma despedida de peso para um gigante da Sétima Arte. Um épico melancólico ambientado no mundo da máfia judia, Era Uma Vez na América traz uma das melhores atuações de Robert De Niro, mostrando a ascensão e queda de um gangster e seu grupo em várias épocas distantes de sua vida. Um estudo de personagem dos mais profundos e uma dos grandes exercícios artísticos de todos os tempos.

Quer ter Telecine na sua programação e ter acesso ao Telecine Play?

Com a SKY você pode ter o melhor dos dois! Sem precisar escolher entre o streaming ou o programa, os planos SKY oferecem pacotes com o canal Telecine, com acesso ao Telecine Play totalmente gratuito.

Assim, você assiste quando e onde quiser à esses e muitos outros títulos.

Conheça nossos pacotes:

 

sky pos pago
sky pós pago
sky pre pago
sky pré pago
sky internet
sky internet

 

Leia também: